segunda-feira, 28 de janeiro de 2008

Nevoeiro em Lisboa

Epá é só mesmo mais uma tentativa...


video

quinta-feira, 24 de janeiro de 2008

from the historic lincoln theatre

- um primeiro clip
- um segundo clip

se quiserem mais procurem, fodam-se!




nigga don't do that. that's five to ten.

terça-feira, 22 de janeiro de 2008

Divagação esquizofrenicamente vermelha

Era uma vez um cão que tinha um gato chamado António. Azul, castanhos, verde. O amarelo é um sapo que não gosta de chapéus que não sabem cantar. As nuvens das cadeiras mudas são mesinhas de cabeceira. Um isqueiro é algo muito bonito porque os submarinos são ovos com cortinados e dossiers. A roupa gosta de brincar às escondidas com os cogumelos venenosos da Eslováquia. As meninas do Afeganistão não são bonitas porque há uma diferença clara entre a falta de chinelos na Malásia e o excesso de cinzeiros na Disneyland. Os sofás e as lâmpadas escandinavas não gostam de Ferrero Roché porque os pássaros não usam sapatilhas. La la la la la. Numa casa sem paredes vivia uma parede que não gostava de paredes. Tinha uma parede chegada, era parede afastada. Havia uma t-shirt azul pedófila. As velas, almofadas, sapatos, carteiras, brincos, tesouras, copos, camisolas de gola alta, cabelos sem gel, trident de pêssego e baunilha, bananas, tapetes, cadeiras, atacadores, canetas, relógios, cachecóis, camisas, romano, folhas aos quadradinhos cor-de-rosa com janelas. Os ursos de peluche são ursos de peluche porque são ursos de peluche. Se os ursos de peluche não fossem ursos de peluche não seriam ursos de peluche.

terça-feira, 15 de janeiro de 2008

domingo, 13 de janeiro de 2008

Campeonato de Cervejarias

A pedido de muito poucas famílias...


video

Era uma vez as carraças

Ver décimo nono sítio onde não se pode fumar

quinta-feira, 10 de janeiro de 2008

eu sou

- um desastre natural



bambi is dead, fuck that cunt, BAMBI IS DEAD!

segunda-feira, 7 de janeiro de 2008

Fear and Loathing in Mealhada

Introdução:

João era empregado de balcão dos CTT mas de momento encontra-se desempregado. Passa a vida a enrolar "cigarros" alheios em troca de uma boa passa, quando descobre que a vocação da sua vida está mesmo debaixo do seu nariz, na ponta das suas unhas acumuladas de droga barata. Surge então o grande amor da sua vida...


quinta-feira, 3 de janeiro de 2008

Feirantes de todo o mundo uni-vos!

Ex.mo Sr. Inspector - geral da ASAE

Venho pelo presente agradecer a intervenção de V.ª Ex.ª, esclarecedora de um conjunto de dúvidas interpretativas, designadamente no domínio do confronto entre a nova "lei do tabaco" e outros diplomas legais.

Assim, considerando que os casinos estão fora do âmbito de aplicação da "lei do tabaco", tenho a honra de informar V.ª Ex.ª de que, desde o passado dia 01/01/08, o meu modesto gabinete é palco de sessões de bisca lambida, bacarat e de black jack, não tendo sido possível ainda contratar as coristas porque as boas são caras e as outras são do Parque Mayer.

Muito grato por toda a colaboração prestada e por me dar a possibilidade de continuar a fumar dentro de quatro paredes,

Com elevada estima e consideração,

RC